segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Naming the fool

não é possível desfazer os cachos
eles enrolam novamente
capilares à morte, cabelos, dentes, unhas

wrestling da terceira natureza
artifício anticoncepcional
artifício fértil
artifício sagrado

faíscas fiadas tramam
apatia ao colo confrontoso
sequelas de comprimidos sonolentos
fomentando leite dos meus seios abortivos

flertaria com o desastre mais quinze anos
sangrando a primeira página do jornal
mais à esquerda dos cadernos de crítica

mas cabelos e unhas aparados
fechada a boca interrompo o dente
à morte prenho o artifício

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Años

Como pudes

Llamar-me pasado
Querer lo mismo

Cuando soy el tiempo

cirandeira

cinco dedos na areia
dez
quinze
vinte

cada volta de perna
rebenta uma onda
cada retorno
até que a curva do fim
engrosse o mar como se sal fosse

- faz o teu máximo -
a tontura te faz ver
quantas estrelas que você foi

girar na rotação das línguas adultas
ser areia e sal
cinco
dez
quinze
vinte

segunda-feira, 14 de março de 2016

Cardeal

28° 05’ W e 39° 05’ N
Western
Norte
Atlântico

soam balbucios, barbaridades

comungam os ruivos
escravocratas
as crias mestiças: um fruto inédito:
lábios-beiços dentes-sorrisos pretice-dourada

cristãos novos têm nomes de árvores
e metáforas
Pereira Macieira Pinheiro Carvalho
Costa Cunha Fonseca Correia

cristãos novos trazem a estrela de davi
em cruz no sinal da testa
negam o nego da terra da guiné
da fé que todo velho judeu
quase colonizado
seria uma estrela de davi

cristãos novos não se misturam
Azeitado Bicudo
assistem ao bailar do mar
de bailarinos pretos
imóveis mercados e conventos

a Graciosa não é uma ilha
é uma nau Vingativa que aporta Brinquedos de Meninos
corpos medrados num patriarcado com balbucios vorazes:

Bárbaros! Selvagens! Vândalos!
Onde estão meus direitos humanos
diante da sua ofensiva morta sem fio de cabelo
d`um alçapão de pretos imóveis
que não bailam
que não vendo
que não rezo
que não testo
que não cruzo no mercado

Ah! Mas os cristãos novos hão de se vingar
e Graciosa será nome de ilha
de um Silva vulgar que aportou nessas terras
e fez dessa ofensa um adjetivo, uma serra, um nome, um sobrenome

O brasão não te cabe misturada
você é preta negreira e filha do Atlântico
vale mais na crista do cristão (ainda que novo, ainda que fugido)

pode emprestar o nome
pode apagar a pesquisa a história o registro
mas não apaga a raiz do teu cabelo
do teu mamilo do teu avô da tua América







terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Canalha

Não é só uma marquise
Não é um prédio ruído
Não é só por R$ 0,20
                Nem serão por R$ 0,40

ouço ao longe o dinossauro branco
               pisando flores
               pretos vivos calcificando
               longas filas para o litoral

o sol chicoteia o pescoço
               mais uma vez
               explode
               mas não afunda

porque não afunda
porque o chicote é o contador
a folha de ponto
a cerveja gelada
a saudade daquele canalha
a pele preta riscada pela roupa

coça na garganta
o grito de torcida
                           de rua
as lágrimas evaporadas
o suor da cerveja gelada

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

S27

Sentadas na escada
cantávamos:

quanto mais eu rezo
mais Maria
vibra mais Maria